Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
EUA e Rússia trocam farpas na ONU ao discutir sobre Ucrânia
01/02/2022 06:55 em Mundo

A Rússia e os Estados Unidos trocaram acusações nesta segunda-feira (31/01), durante reunião do Conselho de Segurança da ONU, em Nova York, convocada para discutir o acúmulo de tropas de Moscou na fronteira com a Ucrânia. Washington disse que o envio dos soldados russos era uma "ameaça à paz e à segurança internacional", enquanto um porta-voz do Kremlin chamou a cúpula da ONU de "golpe de relações públicas" e acusou a Casa Branca de criar "histeria".

Os EUA disseram que a Rússia planeja aumentar sua presença militar em Belarus para 30.000 soldados nas próximas semanas, para se somarem aos mais de 100.000 que mantém próximo à fronteira com a Ucrânia. Belarus, por sua vez, negou que esteja sendo usada como palco para uma invasão russa à Ucrânia. A Rússia viu como intromissão em assuntos internos do país os EUA convocarem uma reunião aberta para discutir a questão e negou que mantenha cerca de 100.000 soldados próximo à fronteira com a Ucrânia. Rússia tenta barrar reunião Antes do início do encontro, os Estados Unidos conseguiram convencer 10 dos 15 membros do Conselho de Segurança a apoiarem a reunião pública desta segunda-feira, frustrando uma tentativa russa de interromper o encontro. No entanto, qualquer ação formal do Conselho de Segurança da ONU é considerada extremamente improvável, dado o poder de veto da Rússia (que é membro fixo do Conselho) e seus laços com outros membros do grupo, incluindo a China, que apoiou a tentativa de Moscou de bloquear uma reunião aberta. "Este é realmente o momento certo para uma diplomacia silenciosa", disse Zhang Jun, enviado de Pequim à ONU.

Troca de farpas Os EUA e a Rússia trocaram farpas, com o enviado de Moscou, Vassily Nebenzia, acusando os EUA de instalar "nazistas puros" no poder em Kiev. A embaixadora dos EUA, Linda Thomas-Greenfield, respondeu que a crescente força militar da Rússia ao longo da fronteira com Ucrânia é "a maior mobilização" na Europa em décadas, acrescentando que houve, também, um aumento nos ataques cibernéticos e na desinformação russa. "Eles estão tentando, sem qualquer base factual, pintar a Ucrânia e os países ocidentais como os agressores para fabricar um pretexto para o ataque", disse ela.

Leia mais em: https://www.dw.com/pt-br/eua-e-rússia-trocam-farpas-na-onu-ao-discutir-sobre-a-ucrânia/a-60616151

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!